quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

ACM Neto estuda transferir linha 1 do metrô para o governo estadual

26/12/2012 - G1

Prefeito eleito foi entrevistado no Bahia Meio Dia nesta segunda-feira (24). Político comentou reorganização para devolver saúde financeira à cidade.

O prefeito eleito de Salvador, ACM Neto (DEM), foi o entrevistado ao vivo no estúdio do Bahia Meio Dia, da TV Bahia, nesta segunda-feira (24). O democrata afirmou que estuda transferir para o Governo do Estado a linha 1 do metrô, que já foi finalizada, mas nunca entrou em operação.

"A atual gestão municipal, o prefeito João Henrique, transferiu para o Governo do Estado a responsabilidade pela ampliação do metrô e o Governo do Estado está finalizando uma parceria público-privada para fazer a ampliação do metrô. Nós começamos um diálogo com o governador Jaques Wagner, que vem transcorrendo com muita eficiência, e eu espero já no mês de janeiro, no máximo no mês de fevereiro, ter uma solução definitiva que gere um entendimento entre a prefeitura municipal e o governo do estado. Há uma possibilidade grande da prefeitura transferir o metrô para o Governo do Estado, essa linha 1 que já está concluída. Já que a atual administração transferiu a responsabilidade para o governo ampliar o metrô, então o entendimento que a gente tem hoje é de que o governo deve também operar a linha 1 que já está concluída e esse pensamento deve ser objeto de uma decisão, no máximo, nos primeiros 45 dias de governo. Nós já estamos em entendimento com o Governo do Estado. Nessa direção, eu espero dentro em breve, criar as condições para que o metrô possa efetivamente ser concluído e possa operar para o povo de Salvador", disse na TV Bahia

ACM Neto afirmou que assim que tomar posse vai baixar um conjunto de decretos e iniciar a reorganização administrativa da prefeitura, além de executar projetos e programas, muitos deles que já estavam no projeto de campanha do político. O prefeito eleito afirma que os resultados devem aparecer aos poucos, com investimentos para resultados a longo prazo.

A dificuldade de orçamento para o município foi um empecilho reconhecido por Neto, mas ele rebateu afirmando que convidou Mauro Ricardo para ser o responsável pela Secretaria da Fazenda com o objetivo de devolver a saúde financeira da cidade. "Vamos dinamizar a economia de Salvador", disse

Fonte: Do G1 BA

ACM Neto estuda transferir linha 1 do metrô para o governo estadual

26/12/2012 - G1

Prefeito eleito foi entrevistado no Bahia Meio Dia nesta segunda-feira (24). Político comentou reorganização para devolver saúde financeira à cidade.

O prefeito eleito de Salvador, ACM Neto (DEM), foi o entrevistado ao vivo no estúdio do Bahia Meio Dia, da TV Bahia, nesta segunda-feira (24). O democrata afirmou que estuda transferir para o Governo do Estado a linha 1 do metrô, que já foi finalizada, mas nunca entrou em operação.

"A atual gestão municipal, o prefeito João Henrique, transferiu para o Governo do Estado a responsabilidade pela ampliação do metrô e o Governo do Estado está finalizando uma parceria público-privada para fazer a ampliação do metrô. Nós começamos um diálogo com o governador Jaques Wagner, que vem transcorrendo com muita eficiência, e eu espero já no mês de janeiro, no máximo no mês de fevereiro, ter uma solução definitiva que gere um entendimento entre a prefeitura municipal e o governo do estado. Há uma possibilidade grande da prefeitura transferir o metrô para o Governo do Estado, essa linha 1 que já está concluída. Já que a atual administração transferiu a responsabilidade para o governo ampliar o metrô, então o entendimento que a gente tem hoje é de que o governo deve também operar a linha 1 que já está concluída e esse pensamento deve ser objeto de uma decisão, no máximo, nos primeiros 45 dias de governo. Nós já estamos em entendimento com o Governo do Estado. Nessa direção, eu espero dentro em breve, criar as condições para que o metrô possa efetivamente ser concluído e possa operar para o povo de Salvador", disse na TV Bahia

ACM Neto afirmou que assim que tomar posse vai baixar um conjunto de decretos e iniciar a reorganização administrativa da prefeitura, além de executar projetos e programas, muitos deles que já estavam no projeto de campanha do político. O prefeito eleito afirma que os resultados devem aparecer aos poucos, com investimentos para resultados a longo prazo.

A dificuldade de orçamento para o município foi um empecilho reconhecido por Neto, mas ele rebateu afirmando que convidou Mauro Ricardo para ser o responsável pela Secretaria da Fazenda com o objetivo de devolver a saúde financeira da cidade. "Vamos dinamizar a economia de Salvador", disse

Fonte: Do G1 BA

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Bahia

21/11/2012 - G1

Segundo ACM Neto, 'espírito é de total colaboração' entre as duas partes. Encontro foi realizado no Centro Administrativo da Bahia (CAB).
20/11/2012 14h51 - Atualizado em 20/11/2012 14h57

Jaques Wagner e ACM Neto (Foto: Ruan Melo/G1)
Do G1 BA
O prefeito eleito de Salvador, ACM Neto (DEM), se encontrou na manhã desta terça-feira (20), no Centro Administrativo da Bahia (CAB), com o governador do estado, Jaques Wagner (PT). Durante o encontro, que durou quase duas horas a portas fechadas, foram discutidas ações voltadas para a capital baiana, como o metrô, orla e carnaval 2013.
"Estamos começando a montar uma agenda de trabalho", disse o governador, que também salientou a importância do entendimento entre o governo do estado com a prefeitura da capital. "Só acho que Salvador tem a ganhar com o entendimento administrativo do governador com o prefeito".
Segundo ACM Neto, a equipe de transição vai iniciar os trabalhos a partir do que foi pautado na reunião com o governador.
"A agenda de trabalho vai ser iniciada de imediato. Quero que a equipe de transição passe a trabalhar com o que foi discutido com o governador. E o metrô é a primeira pauta. O espírito é de total colaboração. Tenho certeza que nós vamos fazer um trabalho conjunto", afirma.
Orçamento
No dia 1º de novembro, ACM Neto se encontrou com o atual prefeito de Salvador, João Henrique. Na ocasião, Neto anunciou que o ex-governador Paulo Souto será o coordenador da equipe dele no processo de transição.
O orçamento municipal previsto para 2013 é de aproximadamente R$ 4 bilhões, mas o endividamento da prefeitura compromete uma boa fatia desse valor e diminui o poder de investimento. Hoje, a dívida total do município é de quase R$ 1,3 bilhão.

João Henrique afirmou que vai entregar a prefeitura com os pagamentos da dívida em dia, como determina a lei. "Eu vou deixar para o sucessor, como manda a Lei de Responsabilidade Fiscal, dívida zero. Nós não vamos deixar restos a pagar porque a Lei de Responsabilidade Fiscal determina assim. Se eu deixar alguma dívida corrente, eu tenho que deixar o dinheiro correspondente em caixa", afirmou João Henrique.

O prefeito eleito ACM Neto disse que tem conhecimento da situação financeira do município e deixou claro que vai reduzir gastos no começo da administração. "Revisão de contratos, revisão de não ocupação de cargos de confiança. Nós vamos ser muito, mas muito firmes, nisso. De cortes em algumas áreas, como automóveis, gastos com energia, com água. Nós vamos dar um comando transversal para todas as secretarias de economia", afirmou Neto.
Para ler mais notícias do G1 BA, clique em g1.globo.com/ba . Siga também o G1 BA no Twitter e por RSS.



Enviado via iPhone

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Em reunião com Wagner, ACM Neto prioriza metrô e pede encontro com Dilma

20/11/2012 - iBahia

O encontro entre o gestor estadual e o prefeito eleito aconteceu na manhã desta terça-feira (20) no Centro Administrativo da Bahia (CAB)
Da Redação
Após o primeiro encontro oficial com o governador Jaques Wagner, na manhã desta terça-feira (20), na Governadoria, o prefeito eleito de Salvador ACM Neto falou à imprensa sobre a importância da realização de um trabalho conjunto entre prefeitura e governo do estado e destacou que irá priorizar a execução do metrô da capital baiana na sua agenda de atividades durante a transição das administrações municipais.

"Essa agenda de trabalho vai ser iniciada de imediato. O meu desejo é que a equipe de transição já possa trabalhar em torno das pautas que foram discutidas com o governador, sendo que a primeira delas é o metrô", disse à imprensa ainda no Centro Administrativo da Bahia (CAB) o prefeito eleito.



Jaques Wagner recebeu prefeito eleito ACM Neto na Governadoria

O governador Jaques Wagner considerou a conversa com Neto "extremamente produtiva" e disse à imprensa que foram discutidos outros assuntos na reunião, como a orla de Salvador e o carnaval. "Ficou claro que objetivo do prefeito eleito é trabalhar muito, como não poderia deixar de ser", disse o petista.


Sobre a busca de apoio do governo federal para a realização de projetos em Salvador, Neto disse que pediu ao governador que ele fosse um interlocutor do com a presidente Dilma Rousseff. Ele destacou ainda o pedido de encontro com a presidente fosse feito na primeira oportunidade que Wagner tivesse.


Este foi o primeiro encontro oficial entre Wagner e Neto - os dois já estiveram juntos em evento promovido pela União dos Municípios da Bahia (UPB) em Guarajuba logo após as eleições. Na ocasião, Wagner afirmou que iria ligar para Neto para confirmar a data de uma audiência solicitada pelo democrata.


Enviado via iPhone

Em reunião com Wagner, ACM Neto prioriza metrô e pede encontro com Dilma

20/11/2012 - iBahia

O encontro entre o gestor estadual e o prefeito eleito aconteceu na manhã desta terça-feira (20) no Centro Administrativo da Bahia (CAB)
Da Redação
Após o primeiro encontro oficial com o governador Jaques Wagner, na manhã desta terça-feira (20), na Governadoria, o prefeito eleito de Salvador ACM Neto falou à imprensa sobre a importância da realização de um trabalho conjunto entre prefeitura e governo do estado e destacou que irá priorizar a execução do metrô da capital baiana na sua agenda de atividades durante a transição das administrações municipais.


"Essa agenda de trabalho vai ser iniciada de imediato. O meu desejo é que a equipe de transição já possa trabalhar em torno das pautas que foram discutidas com o governador, sendo que a primeira delas é o metrô", disse à imprensa ainda no Centro Administrativo da Bahia (CAB) o prefeito eleito.



Jaques Wagner recebeu prefeito eleito ACM Neto na Governadoria

O governador Jaques Wagner considerou a conversa com Neto "extremamente produtiva" e disse à imprensa que foram discutidos outros assuntos na reunião, como a orla de Salvador e o carnaval. "Ficou claro que objetivo do prefeito eleito é trabalhar muito, como não poderia deixar de ser", disse o petista.


Sobre a busca de apoio do governo federal para a realização de projetos em Salvador, Neto disse que pediu ao governador que ele fosse um interlocutor do com a presidente Dilma Rousseff. Ele destacou ainda o pedido de encontro com a presidente fosse feito na primeira oportunidade que Wagner tivesse.


Este foi o primeiro encontro oficial entre Wagner e Neto - os dois já estiveram juntos em evento promovido pela União dos Municípios da Bahia (UPB) em Guarajuba logo após as eleições. Na ocasião, Wagner afirmou que iria ligar para Neto para confirmar a data de uma audiência solicitada pelo democrata.


Enviado via iPhone

Imagens aéreas do metrô de Salvador em teste, Confira o video:

13/11/2012 - IBahia

Depois de divulgar fotos do primeiro teste, agora a Prefeitura de Salvador liberou um vídeo com imagens do metrô em funcionamento na fase de testes. Segundo informações da assessoria de imprensa, os testes estão na fase final e ainda deve durar alguns meses. A expectativa é de que inicialmente o metrô transporte cerca de 25 mil passageiros diariamente e que faça todo o percurso em até 15 minutos.

Ainda segundo a assessoria, após inspeção executada por oito técnicos coreanos da Roten/Hyundai, a fabricante dos trens, o percurso completo entre Estação da Lapa à Estação Acesso Norte está sendo testado com técnicos e operadores.

Operações
As primeiras operações, entre as estações da Lapa e da Rótula, estão sendo feitas sem cargas. O metrô começará a andar sozinho e será verificado todo o sistema técnico, atendendo às normas de segurança.

Já os testes com a movimentação, inspecionam e preparam os trens para os seguintes experimentos envolvendo cargas. Este procedimento é habitual e necessário para que o metrô possa ser liberado para a população.

De acordo com a Secretaria Municipal dos Transportes Urbanos e Infraestrutura (Setin), as verificações com carga devem começar em janeiro de 2012. A depender do desempenho, há possibilidades de que a população soteropolitana possa, depois de 12 anos de espera, utilizar o metrô ainda no primeiro semestre de 2012.



Enviado via iPhone

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

EDITAL DO METRÔ DE SALVADOR E LAURO DE FREITAS PASSA POR MAIS UMA AUDIÊNCIA

20/08/2012 - Bahia Econômica

O Governo do Estado realizou nesta segunda-feira (20) a segunda audiência pública da parceria público-privada (PPP) do Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas. O encontro faz parte do processo de elaboração do edital que vai escolher a empresa responsável pela construção e operação do sistema. Desta vez, a discussão foi promovida com a Câmara de Vereadores de Lauro de Freitas e ocorreu no cine-teatro da cidade.

A audiência contou com a participação dos secretários estaduais da Casa Civil, Rui Costa, e de Desenvolvimento Urbano, Cícero Monteiro, e da prefeita de Lauro de Freitas, Moema Gramacho, outras autoridades, líderes comunitários e moradores, num total de 180 pessoas.

Para Rui Costa, o encontro aberto à população beneficia o trabalho de elaboração do edital. "Submeter o projeto à população é democratizá-lo. Ao fim das audiências, teremos um edital melhor, com sugestões e melhorias feitas pelos próprios cidadãos".

O secretário destacou que a reestruturação da mobilidade urbana permitirá que as pessoas cheguem ao destino gastando menos tempo e dinheiro. Lauro de Freitas receberá uma das pontas do metrô, que sairá da Estação da Lapa. A cidade foi incluída no projeto pela ligação que tem com Salvador e pelo grande fluxo de passageiros entre elas.

Cícero Monteiro declarou que esta foi uma decisão que ampliou o alcance do sistema e o tornou mais completo. "Inicialmente o metrô iria até o aeroporto de Salvador. Agora teremos a última estação três quilômetros depois, e isso amplia a população beneficiada".

http://www.bahiaeconomica.com.br/not...audiencia.html



Marcelo Almirante
69 - 9985 7275

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Obras e projetos prometem melhorar a mobilidade urbana em Salvador

18/09/2012 - Correio 24 Horas, Camila Queiroz

Alguns em andamento, a exemplo da histórica Linha 1 do metrô, e outros ainda estão no papel, como a Linha Viva

A avenida Paralela é uma das vias mais complicadas
créditos: Divulgação

Em Salvador, um dos maiores problemas enfrentados pela população é, sem dúvidas, a mobilidade urbana. Seja de carro, de moto, de bicicleta ou de ônibus, os soteropolitanos passaram a conviver quase que diariamente com grandes engarrafamentos a qualquer hora, ruas emburacadas, sinaleiras quebradas, imprudências no trânsito e acidentes.

Com o objetivo de dar maior fluidez ao trânsito na capital baiana e, ao menos, minimizar os grandes congestionamentos, alguns projetos para a mobilidade urbana em Salvador estão em andamento, a exemplo da histórica Linha 1 do metrô. Outros ainda estão no papel, como a Linha Viva. O iBahia listou os planos e obras para a Salvador do futuro, um dos principais desafios do novo prefeito.

Ainda nesta semana, os internautas poderão conferir como está a mobilidade urbana em Salvador na prática. Será divulgado o resultado final do Desafio Mobilidade iBahia. Em pleno engarrafamento de 18h, réporteres e editores do iBahia foram às ruas na última sexta-feira (14) e fizeram o percurso da Federação ao Iguatemi. Moto, ônibus, carro, bicicleta e pernas-pra-que-te-quero, quem chegou primeiro?

Via Expressa
Quando for completamente construída, a Via Expressa Baía de Todos os Santos vai ligar o Porto de Salvador à BR-324, passando pelas regiões de Água de Meninos, Ladeira do Canto da Cruz, Estrada da Rainha, Largo Dois Leões, Avenida Heitor Dias, Rótula do Abacaxi, Ladeira do Cabula e Acesso Norte. As obras, iniciadas em março de 2009, têm deixado o trânsito intenso nas regiões onde a via está sendo construída, mas prometem facilitar a vida dos motoristas e dar mais fluidez ao fluxo de veículos.

Obras da Via Expressa

A via, que terá extensão de 4.297 metros, é fruto de um convênio firmado entre o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT)/Ministério dos Transportes com o Governo do Estado da Bahia, por meio das Secretarias de Desenvolvimento Urbano e Infraestrutura, com interveniência da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder). O investimento é da ordem de R$ 400 milhões.

O projeto ainda inclui a construção de viadutos e túneis em todo o percurso. Segundo a Conder, 76% da obra já foi executada e a expectativa é de que, até o final deste ano, os soteropolitanos possam fazer o trajeto entre a BR-324 e a Baixa de Quintas. Apesar dos atrasos e de problemas técnicos, a previsão para conclusão total da via é o primeiro semestre de 2013.

Projeto da Via Expressa

Atualmente, de acordo com a companhia, estão em andamento as obras de cinco das sete frentes, o trecho compreendido entre a Av. Heitor Dias e a Estrada da Rainha, onde acontece a demolição de edificações, travessias e limpeza da área, além dos trabalhos no canal do rio das Tripas. As frentes em execução são a do Porto de Salvador, da Av. Heitor Barros Dias/Barros Reis, do Dois Leões e da Baixa de Quintas. As frentes da Ladeira do Cabula e da Rótula do Abacaxi já estão em operação.

Já a frente da Estrada da Rainha está na fase inicial, sendo executada a demolição de imóveis. No final de julho, esta via, que liga a Baixa de Quintas à Lapinha, foi interditada pela Superintendência de Trânsito e Transporte do Salvador (Transalvador). Segundo a Conder, as 116 famílias tiveram seus imóveis desapropriados na Estrada da Rainha foram contempladas pelo Programa Minha Casa, Minha Vida.

Linha Viva
O projeto da Linha Viva é composto por uma via expressa paralela à Avenida Luís Viana Filho, com 20 quilômetros de extensão. A nova via, que vai utilizar a faixa de segurança da linha de transmissão da Chesf, ligará o Acesso Norte ao Aeroporto Internacional de Salvador.

A via promete melhorar a mobilidade na capital baiana, uma vez que serão necessário 15 sminutos para que seja percorrida. No Diário Oficial do Município de 31 de julho deste ano, a Prefeitura publicou um decreto que declara imóveis localizados em uma área de 4.643.801,00m² como de utilidade pública, a qual é destinada à implantação da Linha Viva. No dia 1º de agosto, o Executivo Municipal informou em nota que o projeto básico está em fase de finalização.

Metrô*
A promessa de um metrô na capital baiana começou em 1999, o ano do projeto. As obras começaram no ano seguinte, sob responsabilidade do Consórcio Metrosal (Camargo Corrêa, Andrade Gutierrez e Siemens), mas até hoje os soteropolitanos aguardam a chegada do grande dia da inauguração, com uma sensação de que, na prática, o primeiro trecho tem um percurso muito curto, o que levou ao apelido de "metrô calça curta".

Esta longa história já foi alvo do quadro 'Proteste Já', do programa CQC, e motivo de piada na série 'A Grande Família'. Durante todos esses anos, a construção do metrô em Salvador já foi suspensa várias vezes, inclusive por denúncias feitas pelo Tribunal de Contas da União e Ministério Público Federal. Os trens foram adquiridos em 2008 e, até agora, só foram vistos funcionando em testes feitos pela Prefeitura, inclusive em um vídeo.

Trem do metrô sendo testado

A Linha 1 do metrô é composta por dois trechos. O primeiro, que vai da Estação da Lapa até a Estação Acesso Norte/Rótula do Abacaxi, já está com os trilhos prontos e as estações equipadas para começar a funcionar. A Companhia de Transportes de Salvador (CTS), órgão vinculado Secretaria Municipal de Transportes e Infraestrutura (Setin), é responsável por este trecho.

Segundo o Correio*, o prefeito João Henrique prometeu que metrô estaria funcionando até o dia 1º de setembro, o que não foi cumprido. Um novo prazo para a inauguração deste trecho já concluído está comprometido, pois as seis empresas que analisaram um edital de licitação aberto em julho pela Prefeitura, que procurava alguma companhia para colocar os trens para funcionar recusaram o contrato. A recusa foi encarada pelo prefeito como um boicote para o metrô não sair e disse "estão com medo de João Henrique em 2014".

Já o segundo trecho da Linha 1, correspondente ao percurso entre a Estação Acesso Norte à Estação Pirajá e considerada uma ampliação desta linha, foi integrado ao projeto de implantação da Linha 2, que vai da Bonocô, em Salvador, a Lauro de Freitas, atravessando a Paralela. As obras serão feitas através de Parceria Público-Privada (PPP).

Idealizada para dar suporte à mobilidade urbana nos futuros eventos esportivos em Salvador, especialmente a Copa do Mundo 2014, a linha 2 do metrô terá 24,2 quilômetros e 13 estações, incluindo o Aeroporto. Entretanto, as obras só devem começar no início do ano que vem e este trecho não deverá funcionar completamente até o Mundial.

Exemplo do projeto de estação para a Linha 2

As duas linhas do metrô (Lapa-Pirajá e Bonocô-Lauro de Freitas) compõem o Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas que, através de um decreto publicado no Diário Oficial da União da última sexta-feira (14), tornou-se oficialmente parte das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), as quais serão executadas por meio de transferência obrigatória. Para as obras de ampliação da linha 1 e de implantação da linha 2, está previsto o investimento de R$ 3,5 bilhões, por meio de uma Parceira Público-Privada. Deste total, R$ 1 bilhão será proveniente do Orçamento Geral da União (OGU).

Até a próxima quinta-feira (20), o anteprojeto do sistema metroviário estará disponível para consulta pública através do site www.sedur.ba.gov.br/metro. Após este período, as contribuições serão analisadas, visando o lançamento do Edital de Licitação, que está previsto para o final de outubro deste ano.

Projeto com as duas linhas do metrô

O contrato terá duração total de 30 anos, divididos em três para as obras e 27 para a operação do sistema. O início das obras deverá ser imediato e a construção será dividida em duas etapas. A primeira, que corresponde a Linha 1 até Pirajá e três estações da Linha 2, até a região do Iguatemi, tem entrega prevista para 18 meses. Já a segunda, que conclui o trajeto até Lauro de Freitas, deverá ser executada em mais 18 meses e também inclui a duplicação das avenidas Orlando Gomes e Pinto de Aguiar e a construção de quatro viadutos.

Chegada dos primeiros trens do metrô no Porto de Salvador em 2008

Quando finalizado, o Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas terá 36,4 quilômetros de extensão, 20 estações, 30 composições de quatro vagões e também contará com terminais de integração Ônibus-Metrô. Com velocidade comercial de 36 km/h, a expectativa é de que o trajeto de ida e volta, incluindo paradas e manobras, seja de 40 minutos na Linha 1 e de uma hora, 33 minutos e 20 segundos na Linha 2.

Quem desejar ir da Estação da Lapa até as proximidades da Insinuante, em Lauro de Freitas, deverá fazer o percurso em apenas 46 minutos, incluindo o tempo de manobra para retornar, segundo estima a Secretaria de Desenvolvimento Urbano da Bahia (Sedur). Hoje, quem costuma fazer este percurso de ônibus e no horário de pico, geralmente gasta em torno de duas horas.

*Com informações do jornal Correio* e do Correio 24h

Reforma da Estação da Lapa
A Estação Clériston Andrade, mais conhecida como Estação da Lapa, está sendo reformada, com o objetivo de melhorar a qualidade do serviço prestado à população soteropolitana. As obras de melhoria do local estão sendo realizadas pela Superintendência de Conservação e Obras de Públicas (Sucop), órgão vinculado à Secretaria de Transportes e Infraestrutura (Setin). Já a reforma das escadas rolantes e da estrutura da estação são de responsabilidade da Superintendência de Trânsito e Transporte do Salvador (Transalvador).

A Estação da Lapa é a maior estação de ônibus de Salvador

A reforma inclui a construção de novos banheiros no subsolo da Estação, a reforma dos banheiros existentes na parte superior, a impermeabilização da cobertura da estação, a troca do piso do terminal de passageiros e a manutenção dos cabos de aço que dão sustentação à cobertura e ao viaduto de acesso da estação. Também está no projeto o remanejamento dos permissionários da estação para novos boxes que serão construídos, a revisão do sistema de drenagem e a pintura total.

Segundo a Sucop, o novo banheiro do subsolo foi construido e parte da drenagem e da impermeabilização da cobertura foi executada. Atualmente, a impermeabilização da laje e alguns detalhes do banheiro estão sendo finalizados.

Planos para o futuro

O projeto está sendo reavaliado pela Prefeitura, com o intuito de realinhar as necessidades da estação com o orçamento do município. Depois do novo estudo, será elaborado o novo cronograma de trabalhos para dar continuidade às obras. O investimento total é de R$5 milhões, provenientes da Prefeitura.

Cerca de 460 mil passageiros passam por dia pela Estação da Lapa, que ocupa 150 mil metros quadrados, sendo 30 mil metros quadrados de área construída. O terminal oferece 88 linhas e a frota é composta por 482 ônibus.

Passarelas
O planejamento da mobilidade urbana não deve se restringir aos veículos, deve incluir também os pedestres. Construir passarelas, faixas de pedestres, calçadas e sinalização, por exemplo, é um desafio para Salvador.

As passarelas, além de investirem na segurança dos pedestres, também podem contribuir para o fluxo de veículos. Quem costumava passar pelo Estádio de Pituaçu em dias de jogo, por exemplo, enfrentava um longo engarrafamento, devido ao grande fluxo de torcedores atravessando a av. Paralela. No clássico BaVi do dia 13 de maio, a passarela de Pituaçu, que interliga o estádio ao Centro Administrativo da Bahia, pôde ser inaugurada pelos soteropolitanos, melhorando o trânsito da região.

Apesar de já estar sendo utilizada pela população, a passarela ainda não foi finalizada e sua construção está atrasada. Depois que a cobertura foi instalada, o projeto está em fase de conclusão, segundo a Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder), órgão responsável pela execução das obras. O investimento é da ordem de R$ 12 milhões do Governo Federal, por meio do Orçamento Geral da União e contrapartida do Governo do Estado.

Passarela de Pituaçu, com a cobertura instalada


O equipamento tem seis rampas de acesso, 272 metros de extensão no seu eixo central (sobre as pistas da av. Paralela) e seis metros de largura, quase três vezes maior do que o padrão (2,20 metros). Ele foi projetado para atender o fluxo estimado em 16 mil pessoas nos dias de jogos de maior apelo de público, durante o intervalo de uma hora e meia após o término dos eventos.

Passarela de São Cristovão

Em março deste ano, os soteropolitanos passaram a contar com outra passarela: a de São Cristóvão. Com 168 metros de comprimento e 2.60 metros de largura, este equipamento foi construído pela Secretaria Estadual de Infraestrutura (Seinfra), por meio do Departamento de Infraestrutura de Transporte da Bahia (Derba). O investimento foi de R$ 2,5 milhões.


Enviado via iPhone

domingo, 16 de setembro de 2012

Verba para o metrô de Salvador é oficializada

16/09/2012 - Tribuna da Bahia

O secretário da Casa Civil do Governo da Bahia, Rui Costa, disse que a inserção do metrô no PAC Mobilidade Grandes Cidades é estruturante para a capital baiana.

A edição de quinta-feira (13/9) do Diário Oficial da União (DOU) traz decreto que oficializa o Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas entre as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) que serão executadas por meio de transferência obrigatória.

O decreto de número 7.804 é assinado pela presidente Dilma Rousseff e os ministros Guido Mantega (Fazenda), Miriam Belchior (Planejamento) e Gleisi Hoffmann (Casa Civil).

O projeto prevê investimento de R$ 3,5 bilhões para conclusão da Linha 1 (até Pirajá) e a implantação da Linha 2 (do Bonocô a Lauro de Freitas), por meio de uma Parceria Público-Privada. Parte deste recurso (R$ 1 bilhão) virá do Orçamento Geral da União (OGU), conforme o decreto.

O secretário da Casa Civil do Governo da Bahia, Rui Costa, disse que a inserção do metrô no PAC Mobilidade Grandes Cidades é estruturante para a capital baiana. “Por meio do PAC Mobilidade, teremos ainda um financiamento no valor de R$ 600 milhões para a implantação do metrô neste grande centro urbano, que é a cidade de Salvador”, disse Costa.

A consulta pública que agrega sugestões e críticas ao empreendimento termina na  quinta-feira (20). O Sistema Metroviário contará com 20 estações e 36,4 quilômetros de extensão, atendendo diretamente a população de Salvador e Lauro de Freitas, e beneficiando indiretamente a toda a Região Metropolitana.

Fonte: Tribuna da Bahia 
 

Metrô de Salvador somente na Copa das Confererações, ou seja, em meados de 2013

13/09/2012 - Folha Press

O governo da Bahia aproveitou a visita de representantes da Fifa à Arena Fonte Nova, na manhã de hoje, em Salvador, para anunciar a operação do polêmico metrô da cidade -em obras há 12 anos e até hoje não inaugurado- durante a Copa das Confederações, em 2013.

Uma série de incertezas rondam o projeto, que já havia sido encaminhado à Federação Internacional de Futebol pelo governador Jaques Wagner (PT). Em viagem ao exterior, ele não participou da vistoria.

A chamada "operação assistida" ocorreria na linha 1, entre a Rótula do Abacaxi e as redondezas do estádio, em um trajeto de seis quilômetros. A operação deverá ser provisória durante a Copa das Confederações, entre 15 e 30 de junho de 2013. A possibilidade de não cobrar tarifa dos passageiros está sendo estudada.

"O caráter da operação, se será onerosa ou não, ainda será avaliado na relação custo-benefício, assim como se acontecerá apenas nos dias dos jogos ou no período inteiro do torneio", disse o titular da Secopa (Secretaria Estadual da Copa-14), Ney Campello. "E a gente não vai colocar gente dentro do metrô antes de fazer vários testes", completou.

Metrô de Salvador no CQC

Campello lembrou que há questões políticas envolvidas. "O único problema é que o metrô é municipal [apesar de contar com verba estadual e federal] e, no dia 7, tem eleição. Tem que ver se a prefeitura, ainda nessa gestão, vai assumir isso. Ela sempre alega falta de recursos", disse.

A mobilidade urbana durante a Copa passou a ser o foco das atenções na capital baiana após a reconstrução da Fonte Nova ser considerada uma das mais adiantadas pelo país, já tendo superado 70% do projeto.

O metrô soteropolitano já custou entre R$ 600 milhões e R$ 700 milhões, a depender de quem faz a estimativa, superando o triplo do orçamento inicial.

Visita

Prevista para as 9h, a visita dos cerca de 50 integrantes da Fifa e do COL (Comitê Organizador Local) começou quase uma hora e meia depois.

As obras nos estádios da Copa não entraram na pauta. "Não viemos para checar obras", disse Fulvio Danilas, diretor do escritório da Fifa no Brasil. "Viemos para resolver questões operacionais, envolvendo umas 15 áreas com pessoas de todo o mundo, sobre como chegarão os times, o árbitro, a torcida, a imprensa etc.", afirmou.

Diretor de competições e operações do COL, Ricardo Trade endossou o discurso, mas se disse empolgado com o estágio da obra na Fonte Nova. "Já está sendo montada a cobertura. É muito legal para mim [ver isso], que estive aqui na implosão, em 2010", declarou.

Antes de Salvador, representantes da Fifa passaram por Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília e São Paulo.

A capital baiana ainda aguarda uma confirmação oficial da Fifa para ser incluída entre as sedes da Copa das Confederações. Ao lado de Recife, a cidade está em "stand-by" -as duas capitais só entrarão caso o cronograma de obras seja respeitado. O anúncio está previsto para o final de outubro.

sábado, 15 de setembro de 2012

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

sábado, 1 de setembro de 2012

"Salvador vai ter metrô', garante Gabrielli

30/08/2012 - Bahia Agora, Bárbara Souza

O secretário estadual de Planejamento, José Sérgio Gabrielli, afirmou, em entrevista ao programa Acorda pra Vida, da Rede Tudo FM 102,5,  que a capital baiana terá metrô, o que inclui a linha 2, que vai interligar o Acesso Norte à cidade de Lauro de Freitas. Segundo ele, a Secretaria Estadual de Infraestrutura (Seinfra) já realiza um estudo de “partida-destino” para medir o fluxo de pessoas nas estações de ônibus e poder avaliar a demanda de passageiros para o futuro metrô. Gabrielli não quis entrar na polêmica sobre a divergência de dados entre Sedur e Setin acerca do número de passageiros nos horários de pico. No último dia 14 de agosto, o secretário municipal de Transporte, José Luiz Costa, enviou um ofício ao titular estadual de Desenvolvimento Urbano, Cícero Monteiro, no qual contesta números apresentados em documentos da Sedur relativos à demanda de passageiros do futuro modal. A pasta do governo defende que há demanda de 51.011 passageiros na hora do pico da manhã. Segundo o vereador Paulo Câmara (PSDB), que apresentou o documento em audiência pública na última sexta-feira (24), a estimativa real da Setin sobre a demanda de usuários giraria em torno de 13 mil. O titular da Seplan evitou ainda comentar a denúncia feita momentos antes ao programa Acorda pra Vida pelo secretário de Educação de Salvador, João Carlos Bacelar, de que o Instituto Vox Populi teria manipulado resultados de pesquisa de intenção de votos para favorecer um dos candidatos à prefeitura de Camaçari. “Pesquisas sempre são problemáticas”, afirmou Gabrielli, ao avaliar que "quem está na frente, comemora, mas quem está perdendo, reclama”. Questionado sobre a expectativa com relação às pesquisas para a sucessão do governador Jaques Wagner, o secretário de Planejamento disse que “2014 está muito longe” e que há “muita coisa para fazer agora em 2012”.  

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

"Salvador vai ter metrô', garante Gabrielli

por Bárbara Souza
 
30/08/2012 - Bahia Agora

O secretário estadual de Planejamento, José Sérgio Gabrielli, afirmou, em entrevista ao programa Acorda pra Vida, da Rede Tudo FM 102,5,  que a capital baiana terá metrô, o que inclui a linha 2, que vai interligar o Acesso Norte à cidade de Lauro de Freitas. Segundo ele, a Secretaria Estadual de Infraestrutura (Seinfra) já realiza um estudo de “partida-destino” para medir o fluxo de pessoas nas estações de ônibus e poder avaliar a demanda de passageiros para o futuro metrô. Gabrielli não quis entrar na polêmica sobre a divergência de dados entre Sedur e Setin acerca do número de passageiros nos horários de pico. No último dia 14 de agosto, o secretário municipal de Transporte, José Luiz Costa, enviou um ofício ao titular estadual de Desenvolvimento Urbano, Cícero Monteiro, no qual contesta números apresentados em documentos da Sedur relativos à demanda de passageiros do futuro modal. A pasta do governo defende que há demanda de 51.011 passageiros na hora do pico da manhã. Segundo o vereador Paulo Câmara (PSDB), que apresentou o documento em audiência pública na última sexta-feira (24), a estimativa real da Setin sobre a demanda de usuários giraria em torno de 13 mil. O titular da Seplan evitou ainda comentar a denúncia feita momentos antes ao programa Acorda pra Vida pelo secretário de Educação de Salvador, João Carlos Bacelar, de que o Instituto Vox Populi teria manipulado resultados de pesquisa de intenção de votos para favorecer um dos candidatos à prefeitura de Camaçari. “Pesquisas sempre são problemáticas”, afirmou Gabrielli, ao avaliar que "quem está na frente, comemora, mas quem está perdendo, reclama”. Questionado sobre a expectativa com relação às pesquisas para a sucessão do governador Jaques Wagner, o secretário de Planejamento disse que “2014 está muito longe” e que há “muita coisa para fazer agora em 2012”.  

Metrô de Salvador continua sem previsão de inauguração

26/08/2012 - Correio 24 Horas

A população de Salvador poderia estar a uma semana da inauguração do tão esperado metrô. Mas a promessa, feita pela prefeito João Henrique (PP) em dezembro do ano passado, não será cumprida. É que todas as seis empresas que analisaram em julho o edital de licitação para revitalizar e testar o sistema rejeitaram o contrato.

“Estou sendo boicotado para o metrô não funcionar. Não querem que o governo João Henrique inaugure o metrô. Está claro?! Não está claro?!”, afirmou ontem o prefeito, ao CORREIO, durante homenagem a escolas municipais, na Boca do Rio.

João Henrique não disse de onde ou quem  estaria boicotando, mas ao ser lembrado da promessa do metrô funcionando até 1º de setembro, rebateu: “Estão com medo de João Henrique em 2014”. O prefeito afirmou, em entrevista ao CORREIO, em abril, que vai disputar  o Palácio de Ondina nas eleições de 2014.

O secretário de Transportes e Infraestrutura do Município, José Luiz Costa, afirmou que abrirá nova licitação ainda este mês para revitalizar e testar o metrô e que, caso ninguém apareça novamente, pedirá dispensa de licitação. “Vamos pedir dispensa de licitação e fazer uma contratação direta, conforme previsto na Lei de Licitações”, disse.

Caixa-preta 
Enquanto o prefeito reclama dos imbróglios que envolvem a largada do metrô, a professora Denise Ribeiro, do Departamento de Transporte da Universidade Federal da Bahia (Ufba), mostra outro caminho. “Se não há interesse (no contrato do metrô) é porque as empresas não conseguem ver como um bom negócio. Há a incerteza sobre a demanda para alimentar o setor, ainda não há um estudo. É uma caixa-preta”, avalia.

A especialista acrescenta que o fato de as empresas não saberem o custo real da operação do metrô e da receita pode ter gerado a insegurança que resultou na rejeição dos contratos. Já a Setin acredita que o receio dos empresários - que alegaram dificuldade de montar um escritório em Salvador e o excesso de contratos com outras instituições no país - é a dúvida da continuação da exploração após o fim da gestão de João Henrique. “Não vejo outro motivo”, afirmou o secretário José Luiz Costa.

Linha 2
No Centro Cultural da Câmara de Vereadores, ontem, representantes do governo estadual, vereadores, a prefeita de Lauro de Freitas, Moema Gramacho (PT), e representantes da sociedade civil participaram da última audiência da Parceria Público-Privada (PPP) para discutir ajuste no projeto da linha 2 (Bonocô-Lauro de Freitas) e ampliação da linha 1 (Lapa- Pirajá).

Na audiência, houve propostas para que a linha 2 atendesse Cajazeiras, que o sistema chegasse à Cidade Baixa e que seja lembrada a acessibilidade para portadores de deficiência. Até 20 de setembro, outras propostas podem ser sugeridas através do site da consulta pública (www.sedur.
ba.gov.br/metro).

Fonte: Correio 24 Horas

domingo, 19 de agosto de 2012

Metrô de Salvador a Lauro de Freitas começa a ser discutido

19/08/2012 - Tribuna da Bahia

Audiência pública discute metrô de Salvador e Lauro de Freitas

Esperança de melhoria da mobilidade urbana da capital baiana e região metropolitana, o metrô que vai interligar as cidades de Salvador e Lauro de Freitas só deve ficar pronto em 2016, mas  as discussões a respeito do projeto estão a todo vapor.

Órgãos fiscalizadores, entidades do setor e sociedade civil se reuniram na última sexta-feira (17) para a primeira audiência pública da Parceria Público-Privada (PPP) do sistema.

“Já recebemos, só através do nosso site, mais de 300 contribuições”, diz o secretário de Desenvolvimento Urbano, Cícero Monteiro.

De acordo com o titular da pasta, todas as sugestões estão sendo analisadas e poderão compor o projeto com uma extensão total de 36 quilômetros e 20 estações.

“A previsão é de que as obras comecem em fevereiro de 2013 e estejam prontas em 36 meses”, lembrou Monteiro,  durante a primeira de três audiências públicas já programadas para este mês.

As próximas deverão acontecer, nos dias 20 e 24 de agosto, respectivamente, no Cine Teatro Lauro de Freitas e no Centro Cultural da Câmara dos Vereadores de Salvador.

O prazo para consulta pública se encerraria este mês, mas foi prorrogado até 15 de setembro devido à complexidade do projeto.

O investimento será de R$ 3,5 bilhões, através de PPP. A linha 2 ligará a Avenida Bonocô a Lauro de Freitas, com estações no Detran, Rodoviária, Pernambués, Imbuí, Centro Administrativo, Pituaçu, Flamboyant, Bairro da Paz, Mussurunga e Aeroporto.

Para integrar as linhas de ônibus ao metrô, as atuais estações de Mussurunga e Pirajá serão adaptadas. As duas estações devem passar por obras de revitalização e adaptação ao novo sistema metroviário.

O metrô de Salvador e Lauro de Freitas será composto por duas linhas. As estações e os trens contarão com sistemas de aproveitamento de luz natural e comportará cinco terminais de interligação com o sistema de ônibus.

O sistema pretende ainda ser o primeiro do país interligado ao aeroporto. A obra será realizada na superfíce e por elevados, os viadutos, sem a construção de túneis subterrâneos.

Terminado o prazo das consultas públicas, deverá ser lançado o edital de licitação, entre o final de outubro e início de novembro. O prazo total para o processo de licitação é de quatro meses.

“Após esta etapa a pretensão é que a obra seja iniciada entre fevereiro e março de 2013”, destacou o secretário da Casa Civil, Rui Costa.

O secretário tem ainda a pretensão de incluir, na primeira etapa da obra – que inicialmente daria conta do trecho entre a Lapa e Pirajá – outras três estações: no Detran, Rodoviária e Pernambués.

As empresas interessadas, até então, são Andrade Gutierrez/Camargo Correia, Odebrecht/OAS, Queiroz Galvão, Prado Valadares e Constran, mas o governo do estado ainda pretende atrair capital estrangeiro.

“Vamos fazer uma viagem a Madri, na Espanha, Singapura, na Ásia, e Abu Dabi, nos Emiradores Árabes com intuito de obter contribuições desses países, mais experientes neste tipo de sistema de transporte, além de buscar capital”, destacou o secretário Cícero Monteiro, que acompanha uma comitiva junto a outros secretários e o governador Jaques Wagner. A viagem será realizada entre os dias 5 e 12 de setembro.

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

AL autoriza Estado a pedir R$ 600 milhões à Caixa para metrô

15/08/2012 - Tribuna da Bahia

A execução do metrô, linha 2, ligando a Paralela, avenida de maior fluxo da capital baiana, à cidade de Lauro de Freitas, Região Metropolitana, motivou os governistas e oposicionistas a entrarem em um acordo ontem e aprovarem por unanimidade, na Assembleia Legislativa, um empréstimo de R$ 600 milhões junto à Caixa Econômica para as obras, que, conforme expectativa do governo, devem ser iniciadas antes da Copa do Mundo de 2014.
Também foi aprovado - ainda que sem a concordância da oposição -, o projeto que institui o Grupo Executivo para acompanhamento da implantação do empreendimento industrial destinado à fabricação de veículos da marca JAC Motors Brasil na Bahia, que reservou capítulos polêmicos, desde quando foi anunciada pela gestão petista.
Serão criados seis cargos que devem ser extintos, após a conclusão da obra.
Estava na pauta também a matéria que cria a Agência Reguladora de Saneamento Básico do Estado (Agersa), que cria 13 cargos, mas teve apreciação adiada por causa de problemas técnicos com a relatoria.
Em clima de comemoração pela aprovação de um projeto de impacto para o Estado, o líder da bancada do governo, Zé Neto (PT), ressaltou que a Bahia tem “saúde financeira” para acomodar empréstimos desse tipo, já que está com “nível baixo de endividamento”.
“Vale frisar que não são gastos, mas sim investimentos. O objetivo é melhorar a nossa estrutura”.
O petista disse ainda que a expectativa do governo é de que os recursos possam ser liberados a tempo para que as obras sejam iniciadas antes da Copa. “Mas isso não depende apenas do poder Executivo, depende do Ministério Público, depende das ações que certamente a oposição irá promover”, projetou.
A liderança da oposição apresentou uma emenda propondo que parte desses recursos seja direcionada para complementação da linha Rótula do Abacaxi a Pirajá.
Conforme o líder Paulo Azi (DEM), a conclusão dessa etapa seria de grande importância, já que atinge uma grande parte da população de baixa renda da capital, “facilitando, assim, o acesso não só aos eventos da Copa, como também melhorando a mobilidade urbana, tendo como consequência direta a elevação da qualidade de vida da população carente dessa região”.
 

terça-feira, 31 de julho de 2012

Neto defende metrô até Cajazeiras

24/07/2012 - Bahia Todo Dia

O candidato do DEM a prefeitura de Salvador, ACM Neto, assumiu o compromisso de trabalhar para que a linha um do metrô 1 chegue a Cajazeiras, nesta terça-feira (24), em discurso no Largo da Feirinha de Cajazeiras 8. O democrata afirmou ainda que vai implantar no bairro um Centro de Gestão Municipal, aproximando os serviços públicos municipais do cidadão. “Será um núcleo da prefeitura onde o cidadão vai poder reivindicar melhorias nas escolas, no posto de saúde, na pavimentação de ruas, na iluminação pública. Ele não vai mais precisar se deslocar até o gabinete do prefeito ou do secretário”, explicou. 

“O prefeito tem de estar ao lado do povo. Ele precisa bater no peito e assumir as responsabilidades de administrar uma cidade como Salvador, resolvendo os problemas urgentes da população. Eu vou fazer isso. Vou organizar a cidade e, para tanto, vou precisar do apoio de parlamentares como Jutahy Júnior no Congresso”, acrescentou o candidato. 

Quem também esteve presente na caminhada foi a vice na chapa de Neto, professora Célia Sacramento (PV). Ela defendeu que a próxima gestão enfrente o problema do trânsito e do transporte público em Cajazeiras. “Temos de observar que esse bairro é uma verdadeira cidade e merece atenção especial. O próximo prefeito será ACM Neto, e ele terá vontade política de fazer as melhorias que vocês precisam”, afirmou. 

Na rótula da Feirinha também esteve o deputado federal Jutahy Júnior (PSDB) que disse o clima de desespero ter tomado conta dos adversários de ACM Neto (DEM) porque o sentimento de vitória cresceria cada dia mais nas ruas. “Nós do PSDB estamos engajados na campanha porque temos a melhor chapa, e por isso vamos vencer as eleições”, defendeu. O presidente estadual do PSDB, Sérgio Passos e do vereador Paulo Câmera também se uniram à caminhada.?

    

quinta-feira, 12 de julho de 2012

União financiará expansão do metrô de Salvador

08/07/2012 - Folha de São Paulo

A presidente Dilma, que tenta imprimir a marca de boa gestora, anunciou que financiará um projeto de R$ 3 bilhões para a expansão do metrô de Salvador antes mesmo de o Ministério das Cidades analisar a proposta.

O projeto é uma parceria entre o governo de Jaques Wagner (PT) e o federal.

O anúncio de Dilma ocorreu em 18 de novembro de 2011, em solenidade em Salvador. Mas a proposta para o metrô, com o detalhamento financeiro e técnico do projeto, só chegou ao ministério mais de dois meses depois, em 26 de janeiro deste ano.

A proposta, que cita investimentos de R$ 42 bilhões, foi considerada "passível de apoio" pelo Departamento de Mobilidade Urbana da pasta em seis dias úteis, em fevereiro, apesar de a área técnica ter afirmado, em relatório, que o projeto não tinha "informações suficientes".

Diante do sinal positivo, o governo da Bahia tem agora até o ano que vem para fazer a licitação. O metrô em Salvador vem sendo construído há 12 anos, mas nunca foi colocado em operação.

As informações constam de documentos de processo administrativo do ministério, obtidos pela Folha com base na Lei de Acesso à Informação.

O parecer favorável ao projeto do governo baiano encerrou uma série de nove portarias assinadas pelo então ministro e hoje deputado federal Mário Negromonte (PP-BA), que determinavam a ampliação do prazo para que a pasta finalizasse a análise das propostas recebidas.

Outro lado

O Palácio do Planalto disse que a "decisão do governo federal foi tomada com base na documentação entregue pelo governo da Bahia". Esses documentos, porém, não constavam do processo no Ministério das Cidades.

O Ministério do Planejamento disse que o procedimento seguiu os trâmites legais. A pasta das Cidades disse que não ampliou os prazos para entregas de propostas.

A nota não esclarece por que o anúncio de Dilma ocorreu três meses antes de o projeto chegar ao ministério. A secretaria de Planejamento da Bahia não quis responder.

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Governo lança nesta quinta edital de consulta pública para linha 2 do metrô

20/06/2012 - Correio da Bahia

O governo da Bahia lança na quinta-feira (21) pela manhã, em evento no Hotel Fiesta, o edital de consulta pública para o Sistema Metroviário de Salvador e Linha de Freitas, a linha 2 do metrô. Estarão no lançamento o governador Jaques Wagner e o secretário de Desenvolvimento Urbano, Cícero Monteiro.

Esse edital ficará em consulta pública durante 60 dias e depois as contribuições serão analisadas para então ser lançado o edital de licitação. As propostas recebidas vão ser analisadas e em novembro deve acontecer um pregão na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), que vai definir o vencedor.

Linha 1 do metrô também vai ser parcialmente contemplada pela PPP

As obras do metrô acontecem através de uma Parceria Público-Privada (PPP), que também vai incluir a complementação da linha 1, no trecho de 5,6 km entre o Acesso Norte e Pirajá, com mais três estações. Incluindo o trecho Lapa-Acesso Norte de 6,6 km e quatro estações, o sistema vai contar com 36,4 km e 20 estações. 

Além da implementação, a PPP também será responsável por operar todo o sistema.

Metrô em 2015

Uma das propostas para dar suporte à mobilidade urbana de Salvador para a Copa do Mundo de 2014 não vai funcionar durante o evento, segundo o secretário estadual de Planejamento Sérgio Gabrielli, no início de maio.

"Não tem a menor possibilidade física. O metrô já deve estar em fase final, deve entrar em 2015, se começar a construir hoje. É um problema de gravidez, tem que ter nove meses. Com oito meses é prematuro, com sete meses é difícil sobreviver, com seis não sobrevive”, declarou ao EcoD.

Bahia lança edital do metrô Salvador-Lauro de Freitas

22/06/2012 - Revista Ferroviária

O Governo da Bahia lançou nesta quinta-feira (21/06) o edital de consulta pública para a construção, operação e manutenção do Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas. O documento ficará em consulta pública por dois meses. A minuta do edital e do contrato estão disponíveis, gratuitamente, no site www.sedur.ba.gov.br/metro.

O projeto será uma parceria público-privada, na modalidade de concessão patrocinada (a administração direta transfere, mediante contrato, a prestação do serviço público para empresa particular). O prazo de concessão será de 30 anos. O critério de julgamento será o menor valor de contraprestação a ser pago pela administração pública. A sessão pública de leilão será realizada na Bovespa, em data que será divulgada no edital.

A PPP é para a complementação da Linha 1 entre o Acesso Norte e Pirajá, com 5,6 km e mais três estações.  E para a Linha 2, que ligará a Avenida Bonocô a Lauro de Freitas, um trecho de 24, 2 km  e 13 estações. No total, incluindo o trecho Lapa-Acesso Norte de 6,6 km e quatro estações, implantado pela Prefeitura de Salvador, o Sistema Metroviário a ser concedido passará a contar com 36,4 km e 20 estações, atendendo a população de Salvador, Lauro de Freitas e dos municípios da Região Metropolitana.

O projeto está orçado em R$ 3,5 bilhões. A previsão é que as obras comecem no início de 2013 e a operação inicie após 36 meses.

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Metrô/BA vai operar no segundo semestre só para testes

09/05/2012 - Correio 24 Horas

O governo baiano vai buscar recursos junto à União para colocar em funcionamento a linha 1 do metrô no próximo semestre

O governo do estado vai buscar R$ 32 milhões junto à União  para colocar em funcionamento a linha 1 do metrô (Lapa-Acesso Norte) no próximo semestre. Mas isso não significa que o metrô vai operar comercialmente, como quer a prefeitura.

“A posição do governo é que não é viável funcionar comercialmente só com os seis quilômetros. Mas, os equipamentos já ficaram parados tempo demais e precisam ter algum funcionamento para preservar o investimento. Só vale operar comercialmente quanto tiver pelo menos a conclusão da linha da Paralela. Não podemos fazer coisa de amador”, afirmou o secretário  da Casa Civil, Rui Costa, que participou ontem de uma reunião com o governador Jaques Wagner e o vice-prefeito Edvaldo Brito.

Segundo ele, a operação da linha 1 do metrô será feita de forma assistida. “Terá transporte de passageiro, mas não será contínua. Podemos operar três dias por semana, por exemplo, e depois quatro. Mas são os técnicos que vão dizer. A operação será para condicionar, para testar o equipamento”, disse Costa, referindo-se à revisão dos vagões e manutenção do sistema.

A previsão, diz ele, é que a operação assistida funcione até o final do ano. “Chegamos a um entendimento com o município. A perspectiva é que a operação assistida vá até o final do ano e, após o condicionamento, será entregue ao vencedor da PPP”.

Na reunião, ficou acertado que a complementação da linha 1, com 12 km de extensão, entre a Lapa e Pirajá, será incluída no projeto de implantação da linha 2, do Acesso Norte, em Salvador, a Lauro de Freitas, passando pela Paralela, através de Parceria Público-Privada (PPP). 
 

Ajuda do Estado ao metrô da Bahia gera dúvidas

11/05/2012 - Tribuna da Bahia Online

Pelos cálculos do governo e da Prefeitura, são necessários R$ 40 mi para iniciar a pré-operação do metrô, que tem seis quilômetros de extensão.

Por Raul Monteiro

A mudança de 180³ na postura do governo do Estado com relação ao metrô de Salvador desencadeou um conjunto de especulações nada confortáveis na equipe do prefeito João Henrique (PP) sobre o que pode estar por trás da guinada.

Uma delas é que, aproveitando-se de seu poderio publicitário e de mídia, o governo estadual pode estar interessado em assumir a paternidade do empreendimento, de olho nas eleições municipais, mesmo depois de ter se colocado frontalmente contra o equipamento.

A outra é que, ao acenar com o levantamento dos recursos para o tramo I do metrô, a administração estadual pode, na realidade, estar tentando assumir a condução de todo o processo para, deliberadamente, retardar a chegada do dinheiro, jogando a operação do novo sistema de transportes apenas para o ano que vem, muito tempo depois, portanto, das eleições municipais, quando o funcionamento do sistema pode ser apresentado como uma grande realização do governo João Henrique, beneficiando o candidato que ele apoiar.

Na equipe do prefeito, o temor é tamanho com relação à entrada em cena do governo do Estado na história que já há quem esteja sugerindo a João Henrique que levante diretamente o dinheiro no orçamento do município de forma a colocar o metrô em funcionamento de qualquer forma até agosto, ou seja, antes das eleições.

Pelos cálculos do governo e da Prefeitura, são necessários R$ 40 mi para iniciar a pré-operação do metrô, que tem seis quilômetros de extensão.

Como o dinheiro não precisa ser desembolsado de uma única vez, a Prefeitura poderia se preparar para aportar os recursos, parceladamente, a partir de agosto, a tempo de dar à população o direito de usar o equipamento, durante a pré-operação, de forma gratuita.

“Muito estranha essa mudança repentina na postura do governo do Estado com relação ao metrô. Antes, era contra. Agora, repentinamente, ficou a favor”, disse ao Política Livre uma fonte com acesso direto ao gabinete do prefeito.

A mesma fonte avalia que, embora a mudança de postura do governo possa ser considerada uma vitória pessoal do prefeito, que passou a peregrinar pelos meios de comunicação defendendo o funcionamento do equipamento desde que a ministra Míriam Belquior (Planejamento), em visita à Bahia, questionou a operação, nenhuma explicação razoável surgiu até agora para tamanha virada.

Mesmo a tese de que, caso não mudasse, o governo petista estaria prejudicando o deputado federal do PT Nelson Pelegrino, que passaria a ser o único candidato a ficar contra o funcionamento do metrô na campanha municipal, não convenceu ainda os aliados do prefeito.

“Tem, com certeza, mais coisa por trás disso”, analisa outra fonte próxima de João Henrique, lembrando que o gestor foi o responsável pelo destravamento burocrático que permitiu a conclusão dos seis quilômetros do metrô.

Quando João Henrique assumiu a Prefeitura em 2004, encontrou apenas 20% das obras do metrô concluídas, envolvendo-se numa operação de guerra, no que teve o apoio de todos os partidos baianos, do PT ao DEM, para retomar os investimentos e concluir o empreendimento, cujo tamanho foi definido pelo governo federal.

Metrô de Salvador entra em operação neste ano

09/05/2012 - G1

O governo da Bahia e a prefeitura de Salvador se reuniram na terça-feira (8) e fizeram um acordo que definiu que a complementação da linha um do metrô, com 12 Km entre a Lapa e Pirajá, vai ser incluída no projeto de mobilidade urbana que prevê a implantação da linha dois, com 22 Km, ligando a Rótula do Abacaxi ao município de Lauro de Freitas, passando pela Avenida Paralela. Os recursos serão conseguidos através de Parceria Público-Privada (PPP).

Também ficou acertado que o Governo Federal, Governo do Estado e prefeitura vão tomar medidas para colocar em atividade já no próximo semestre o trecho de 6 km entre a Lapa e o Acesso Norte, na Rótula do Abacaxi. O trecho já foi concluído e os trens começaram a ser testados no ano passado. O custo será de R$ 32 para a revisão dos vagões e a manutenção do sistema.

O termo de cooperação ainda vai ser assinado e logo depois será lançado o edital da Parceria Público-Privada. Quem vencer a licitação vai construir o restante do metrô e operar o sistema. A meta é que até a Copa de 2014, além do primeiro trecho, entre a Lapa e Pirajá, algumas estações da Paralela também já estejam funcionando, diz a nota do governo do estado.
O metrô de Salvador começou a ser construído no ano 2000 e deveria ter ficado pronto em 2003.

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Polêmica do metrô de Salvador deve esquentar debates na Câmara

16/04/2012 - Jornal da Midia

Para operar em fase de testes o metrô precisará torrar R$ 40 milhões

A polêmica sobre o metrô de Salvador deve esquentar na sessão desta segunda da Câmara Municipal com a leitura da “carta de repúdio” à ministra do Planejamento, Miriam Belchior, pelo presidente da Comissão de Transportes da Casa, vereador Jorge Jambeiro (PP), um dos que defendem a tese do “metrô já”, mesmo que isso represente “torrar” – como disse o líder do PT, Henrique Carballal – os R$ 40 milhões necessários para a sua operação em “fase de testes”.

Botar os trens para rodar imediatamente traz embutido um animus lucrandi para a campanha eleitoral do candidato a prefeito apoiado por João Henrique.

Por outro lado, é certo que, parado, o metrô permanece como um monumento ao desperdício do dinheiro público. Os trens chegaram desde 2008. Se for deixar para eles rodarem depois de 2014, os técnicos vão precisar de um estoque extra de graxa para manter as engrenagens funcionando até lá.

O resumo de tudo: a cidade acaba pagando agora pelo que fizeram nela lá atrás. E a Justiça ainda está a dever um esclarecimento sobre se houve ou não animus furtandi nas obras do metrô.

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Prefeitura de Salvador diz que o metrô irá funcionar em 2012

13/04/2012 - G1

Obras do primeiro metrô da capital baiana já duram mais de dez anos. Ministra disse que nova verba só será liberada com funcionamento do 2º Semestre.

Miriam Belchior apoiou a liberação de mais verba
créditos: TV BA

A Prefeitura de Salvador diz que não vai levar em consideração o que anunciou a ministra do planejamento e garante que os seis primeiros quilômetros do metrô vão funcionar este ano.
 
Miriam Belchior condicionou a liberação de mais verbas para o metrô que está em construção há mais de dez anos desde que ele só entre em funcionamento junto com o metrô a ser construído na Avenida Paralela, o problema é que, segundo um especialista, a obra da paralela não tem como ser concluída até a copa de 2014.
 
“No momento em que o governo federal resolveu apoiar o trecho dois do metrô foi exatamente nessa visão de que nós precisávamos de uma linha maior para dar viabilidade comercial. Nos parece, em princípio, que nós precisamos completar o metrô todo para que valha a pena essa operação”, disse a ministra.
 
As declarações da ministra repercutiram também na Câmara Municipal. Nesta quarta-feira (11), um grupo de vereadores se reuniu para elaborar uma carta em repúdio às declarações da ministra, que deve ser entregue nos próximos dias à presidente Dilma Roussef e ao governador Jaques Wagner. “Tenho certeza que a presidente e o governador quando refletirem não vão concordar com essas declarações dela [da ministra]”, disse o vereador Jorge Jambeiro, presidente da Comissão de Transporte.
 
A prefeitura de Salvador diz que não vai levar em consideração o que anunciou a ministra do planejamento e garante que os seis primeiros quilômetros do metrô vão funcionar ainda em 2012. Miriam Belchior condicionou a liberação de mais verbas para o metrô que está em construção há mais de dez anos ao início da operação do transporte junto com o funcionamento do metrô que vai ser construído na Avenida Paralela.
 
Segundo o professor Elmo Felzemburg, especialista em transporte urbano, a obra da Paralela não tem como ser concluída até a Copa de 2014. Segundo ele, o projeto já está bastante atrasado e não há tempo suficiente para completar a obra que nem começou. "É um projeto complexo, que exige que você estude cada detalhe onde o corredor vai ser atravessado, cada cruzamento que ele [o metrô] vai passar, cada estação que vai ser contemplada. São vários itens que compõem o projeto que é preciso que ele não seja em toque de caixa para atender a Copa.
 
Linhas
 
A linha um do metrô está dividida em duas etapas. A primeira, que liga a Estação da Lapa ao Acesso Norte, já está com os trens nos trilhos. A segunda, do Acesso Norte até Pirajá, de acordo com a Secretaria Municipal de Transporte e Infraestrutura (Setin), 27% das obras já foram executadas. Mas o que pode ser observado na região do metrô é mato e abandono.
 
O secretario José Mattos garante que os seis primeiros quilômetros começam a funcionar este ano. E diz que não acredita na hipótese do governo federal barrar R$ 40 milhões. “Com ou sem o governo do estado, com ou sem o governo federal, nós vamos buscar todos os meios para que a gente coloque para a população este equipamento [o metrô] disponibilizado em julho”, afirmou.
 
O outro projeto, da linha dois do metrô, passando pela Avenida Paralela, e com 22 km, ainda está sendo alterado. Do custo total, um bilhão de reais vem do governo federal. O Estado vai financiar outros R$ 600 milhões, com expectativa de que o transporte fique pronto até a Copa de 2014.

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Metrô de Salvador deve operar em junho

04/04/2012 - Portal 2014

Após 12 anos em construção, o primeiro tramo do sistema está em fase final de testes


Trem da primeira linha do metrô (crédito: Mila Cordeiro / Agecom BA)
ampliar

O metrô seria a solução ideal para o transporte de massa em Salvador, mas acabou tornando-se motivo de problemas, e de piadas. Ao longo de 12 anos em construção, a Linha 1, com 6,5 km de extensão no primeiro tramo (Lapa-Acesso Norte), é chamada de tudo pela população: ferrorama, calça-curta e montanha-russa. Tudo menos metrô.

Sob responsabilidade da prefeitura, o sistema metroviário, cujo projeto inicial perfazia 13 km (Lapa-Pirajá), consumiu até agora R$ 720 milhões apenas para a metade do percurso e mais 27% das obras do segundo tramo (Acesso Norte-Pirajá), segundo o secretário municipal de Transportes, José Mattos. O orçamento inicial era de R$ 307 milhões e a entrega de toda a linha estava prevista para 2003.

Mattos afirma que até o final desse semestre, o novo transporte será disponibilizado para a população, nove anos após vencer o primeiro prazo da entrega da obra.“Estamos em fase de comissionamento (testes dinâmicos e estáticos) e pelo planejamento, o metrô será colocado em operação assistida até junho”, garante.

O secretário ressalta que o governo federal assegurou recursos da ordem de R$ 33 milhões para subsidiar as operações ao longo de um ano. “A população deve, inicialmente, adaptar-se a usar o sistema. Só depois, começaremos a cobrar a tarifa”, diz. O custo do bilhete, garante, será o mesmo cobrado no transporte coletivo, além de ser integrado aos ônibus. “No período de duas horas, o cidadão poderá fazer a integração com apenas um bilhete”, comenta.

A longa viagem da construção do metrô, de acordo com Mattos, enfrentou uma série de pedras no caminho (veja Linha do Tempo). Contingenciamento de recursos, mudança dos financiadores e da constelação de instituições envolvidas no projeto, assim como questões políticas estão entre os principais fatores. “O acordo era para que a empresa executora entregasse a chave do trem e a prefeitura colocasse a população dentro, mas uma série de questões relacionadas ao projeto começaram a atrasar o cronograma”, recorda.

Entre os eventos que ralentaram o andamento das obras, afirma Mattos, está a intervenção do Tribunal de Contas da União (TCU) em 2007, quando o órgão determinou a divisão da linha em dois tramos, cada um com 6,5 quilômetros de extensão. “A suspeita de superfaturamento motivou a decisão do órgão federal, mas não se confirmou. Em paralelo, a alimentação irregular de recursos e uma série de paralisações nas obras retardaram todo o processo”, expõe.

Prefeitura de Salvador testa metrô da cidade (crédito: Divulgação)
Além disso, entraves politiqueiros também emperraram a finalização da obra, na opinião do secretário. “A questão política começa a existir quando há uma irregularidade no fluxo de recursos. Se houvesse vontade política, a obra não se arrastaria por tanto tempo”, avalia Mattos.

As obras do segundo tramo, de acordo com ele, devem ser reiniciadas nesse semestre. “A projeção para a conclusão é em 2013. Esse sistema será integrado ao metrô da Paralela, cuja obra está a cargo do governo estadual”, reforça. O orçamento das obras do segundo tramo, diz o titular da Setin, foi elaborado pelo Exército, a pedido do TCU. “Ainda não podemos divulgar os valores porque o Tribunal ainda não recebeu o orçamento. A empresa executora também precisa avaliar a compatibilidade e a viabilidade da execução de acordo com os valores apresentados pelo Exército”, menciona.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Bahia assina convênio para Linha 2 do metrô

23/01/2012 - A Tarde

Um pontapé inicial. Esta foi a definição dada pelo governador Jaques Wagner para o convênio assinado nesta sexta, 20, entre o governo da Bahia e as prefeituras de Salvador e Lauro de Freitas, que permitirá preparar a licitação para a construção da linha 2 do metrô, que ligará o Acesso Norte a Lauro de Freitas.

Apesar de permitir que o governo do Estado dê prosseguimento aos trâmites necessários para publicação do edital de licitação, o convênio não traz uma definição precisa sobre a modelagem do futuro sistema de transportes. De certo, até o momento, só o fato de que o sistema deverá ter uma gestão tripartite, envolvendo o governo estadual e as prefeituras de Salvador e Lauro de Freitas.

A expectativa, no entanto, é que seja criada uma empresa com participação do governo estadual e das prefeituras em que cada um entre com os seus ativos. Esta empresa seria responsável pela concessão do sistema, que seria gerido pela iniciativa privada. Nesta modelagem não seria necessário o Estado assumir o controle de patrimônios municipais, como a Companhia de Transportes de Salvador (CTS), responsável pela linha do  metrô entre a Lapa e Pirajá.

“Parte da polêmica passou pela ideia de que o Estado está recepcionado um patrimônio. Não se trata disso. Estamos somando dois patrimônios para montar um sistema. Com esta formatação, começamos a  superar as dificuldades”, destacou o governador Jaques Wagner. Com a assinatura da anuência, o próximo passo será a realização de consultas públicas em fevereiro para debater a implantação do sistema.

A licitação será anunciada em julho, com previsão de início das obras no final de agosto. Serão investidos R$ 1,6 bilhão, sendo R$ 1 bilhão do governo federal e R$ 600 milhões do Estado da Bahia, captados por meio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

domingo, 22 de janeiro de 2012

Convênio viabiliza linha 2 do metrô de Salvador

21/01/2012 - Portal Vermelho

A deputada federal Alice Portugal (PCdoB) considera que é um ganho para Salvador a assinatura, tantas vezes adiada, do convênio que define o projeto de mobilidade urbana para a capital baiana.


Depois de várias rodadas de negociações entre a prefeitura de Salvador e o governo do Estado, enfim, o acordo foi concretizado, na tarde desta sexta-feira (20), no Palácio Thomé de Souza. O convênio foi assinado entre o governador Jaques Wagner, o prefeito de Salvador em exercício, Edvaldo Brito e a prefeita de Lauro de Freitas, município da Região Metropolitana de Salvador, Moema Gramacho.

Para Alice Portugal, que é pré-candidata a prefeita de Salvador, a assinatura do convênio entre o governo estadual e dos dois municípios, marca a abertura da temporada de consulta pública para a realização de uma obra que servirá ao povo de Salvador e de toda a Bahia.

A população de Salvador sofre com a falta de transporte de massa e da implantação de um projeto de mobilidade urbana que supere o trânsito caótico, devido a grande quantidade de veículos, além de enfrentar ônibus superlotados.

O sistema integrado intermunicipal de transporte, prevê inicialmente a implantação da linha 2 do metrô, ligando o Acesso Norte, em Salvador, ao município de Lauro de Freitas, passando por toda a Avenida Paralela, além da implantação das vias. 

“A cidade cresceu, multiplicou sua frota de automóveis e há muito tempo, nutre a esperança de ver concretizado um transporte de massas, seguro e digno. Com a iniciativa do governador Wagner supre-se agora a longa espera, produzida pela inépcia de outros gestores' , declarou a deputada.
 

sábado, 14 de janeiro de 2012

Em Salvador, Estado e prefeitura estão em conflito por causa do metrô

14/01/2012 - A Tarde

Pré-candidato à Prefeitura de Salvador, o petista Nelson Pelegrino cobrou do município a assinatura do convênio da linha 2 do metrô

Por João Pedro Pitombo

O desfile dos partidos nesta quinta, 12, na Lavagem do Bonfim, mostrou que as divisões entre os partidos da base governista vão além das questões eleitorais, mas também se situam no campo político-administrativo, num embate em torno de projetos importantes para a cidade. Prefeitura e governo do Estado não se entendem sobre o convênio do projeto de mobilidade urbana e sobre a ocupação dos terrenos doados para implantar o Parque Tecnológico.

O governador Jaques Wagner (PT) afirmou que “não tem nada a ver” a exigência da prefeitura de uma contrapartida para assinar o convênio que permitirá licitar a obra da linha 2 do metrô, que ligará Lauro de Freitas ao Acesso Norte, em Salvador. “Não estou entendendo nada. Eu estou querendo dar um presente para a cidade e ele ainda quer contrapartida? Não tem nada a ver”, disse Wagner, em tom de estranhamento.

Ele cobrou clareza dos gestores da prefeitura, relembrando que a cidade já tem um trauma de um metrô cuja obra se arrasta há 12 anos. “Eu espero não ter que dizer para a cidade que a prefeitura não quer o metrô. Eu estou tentando resolver o problema e eles acham ruim”, destacou.

Pré-candidato à Prefeitura de Salvador, o petista Nelson Pelegrino cobrou do município a assinatura do convênio da linha 2 do metrô. “E eu acho errado fazer qualquer exigência de contrapartida. A cidade não aceita isso, o metrô é uma obra importante e o prefeito tem que sancionar para que o governo possa fazer a licitação”, pontuou, destacando que o pedido de contrapartida não partiu do prefeito João Henrique, que está em férias nos Estado Unidos, mas do secretário João Leão (PP).

Leão, por sua vez, afirmou que não vê problema em a prefeitura assinar o termo de anuência do convênio, mas impõe condições para isso. Segundo ele, o governo do Estado terá que “ressarcir” a prefeitura em R$ 71 milhões pelo investimento que a administração municipal fez na obra – gerir o trem do subúrbio. “Se o governo quer comer a carne deve levar o osso também”, disse. O assunto será discutido em reunião marcada para o próximo dia 27.

Parque Tecnológico - Outro ponto de desentendimento entre prefeitura e governo do Estado está no projeto da  Lei de Ordenamento e Uso do Solo (Louos), aprovado  na  Câmara de Vereadores. Uma  emenda proposta pela bancada da maioria prevê que os terrenos do entorno do Parque Tecnológico, doados pela prefeitura ao Estado, sejam edificados até 2013, sob pena de retornarem para a administração municipal. Além disso, altera o zoneamento dos terrenos para permitir a construção de empreendimentos residenciais.

Ressaltando que o assunto não compete a ele, Wagner alegou que o prazo é muito curto. “Se ele falasse 2030, eu acharia razoável. Agora, algo que foi preparado para uma finalidade, com apenas um ano já querem transformar em área imobiliária, acho este artigo estranho”.

*Colaborou Valmar Hupsel Filho

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Metrô será gratuito de abril a outubro, diz Leão; gestão segue indefinida

03/01/2012 - Bahia Notícias

Os testes da linha 1 do metrô de Salvador (Acesso Norte-Lapa) acabarão em três meses, de acordo com a expectativa do chefe da Casa Civil municipal, João Leão. O secretário, em entrevista ao Bahia Notícias, revelou que, de abril a outubro, o transporte fará uma nova etapa de estudos com a circulação gratuita de passageiros. Apesar dos avanços, há dúvidas sobre a gestão do modal. Leão defende que, caso o Estado assuma a administração, como quer o governador Jaques Wagner, também controle os trens do Subúrbio. Nesse caso, a prefeitura seria responsável pelas vias alimentadoras, definidas no projeto de mobilidade urbana como linhas de BRT (corredores exclusivos de ônibus). “Outra coisa que temos que discutir é como será a conclusão da obra. Já temos programados R$ 546 milhões para o trecho Acesso Norte-Estação Pirajá e temos mais R$ 50,5 milhões para o trecho Estação Pirajá-Cajazeiras. Quem coordenará essas obras? O Estado vai construir o trecho da Paralela e o Município o de Cajazeiras? Quando o Estado assumirá o metrô?”, indagou. Segundo Leão, nada ainda foi especificado no contrato feito entre Município e Estado. “Quem concluirá esse trabalho? Prefeitura ou Estado? Tudo ainda está muito subjetivo no contrato que estamos discutindo com o Estado. Precisamos agora fazer o que fizemos no início do acordo e reunir os secretários do Estado, do Município, o prefeito e o governador. Espero que esse acordo seja promissor tanto para a prefeitura, quanto para o governo e, principalmente, para a população”, estimou. Ainda não há previsão para ocorrer o encontro, já que tanto o prefeito João Henrique quanto o governador Wagner estão em viagem.

Câmara de Salvador aprova projeto de construção do metrô

29/12/2011 -A Tarde

A Câmara Municipal de Salvador aprovou agora há pouco, na última sessão do ano realizada na tarde dessa quinta(29), o projeto que autoriza o convênio entre a Prefeitura e o Governo do Estado para as obras do metrô na Avenida Paralela, principal ligação entre o aeroporto e o centro da capital baiana, e considerada uma dos principais equipamentos para a cidade com vistas à Copa de 2014. Com a decisão, o governo baiano pode agora iniciar a licitação pública para a execução da obra.

Caso o convênio não fosse aprovado em 2011, Salvador perderia os R$ 1 bilhão que o governo federal vai disponibilizar, via PAC da Mobilidade Urbana, para a construção da linha 2 do metrô da capital baiana, já que a linha 1 está empacada há 12 anos. Apesar de se posicionar a favor do projeto, o líder do prefeito João Henrique Carneiro (PP), vereador Téo Senna (PTC) ao declarar o voto disse ter certeza que o metrô “não ficará pronto para a Copa, pois o governador (Jaques Wagner) não deu prazo de conclusão da obra”.

http://www.atarde.com.br/politica/no...rucao+do+metro